3 Perguntas Básicas Antes de Começar um Namoro

A postagem de hoje tem um caráter mais de contribuir para que o seu relacionamento seja sadio.
Há alguns anos venho postando minhas "teorias" sobre um relacionamento saudável, próximo e que funcionem. São embasados não somente em pensamentos próprios, mas também da observação e lição que outros casais nos deixam, sejam através de experiências positivas ou negativas, o que devemos fazer ou o que não devemos fazer.
Diferentemente de como eu iniciava os demais posts sobre o tema, começarei por algumas perguntas que devemos nos fazer antes de iniciarmos um relacionamento. Tais perguntas devem ser respondidas de maneira sincera e que você deve se dispor a pensar pelo seu companheiro. Nesse momento já demonstramos que somos empáticos para com ele.

1º Deus está em primeiro lugar na minha vida?
Essa pergunta nos leva a refletir se somos atrevidos ao ponto de fazer "tudo por nossos pensamentos". Coloquei entre aspas pois talvez vá de encontro ao pensamento de "propósito divino".
Deus em primeiro lugar na sua vida, demonstra o quanto somos dependente dele e que estamos dispostos a esperar em seus braços, por tudo e qualquer coisa, sem exceções. Somos incapazes sem Ele, inclusive de Amar.
Lá na frente vamos juntar essas perguntas e deixá-las numa explicação sucinta das consequências de quando não descansamos nEle.

2º Eu me Amo?
O que significa amor próprio? É aquele sentimento de respeito, de prudência, de auto conhecimento e virtude. Postura. Se resume a essa palavra.
Em todo tempo devemos ter uma postura íntegra. Nos momentos difíceis retornar à raiz da primeira pergunta, Deus. É ele quem deve nos suprir em todas as áreas.
Somos falhos? Sim,somos. Porém algumas falhas não podemos nos deixar cometer.
Então, prepare-se bem antes. Tenha aquele amor que, quando você olha pra si, tenha a possibilidade de dizer.

3º Estou pronto para me relacionar com alguém?
Aqui vamos entrar no ponto empatia. O quanto você está disposto a abrir mão de si mesmo para fazer o outro feliz? Lembre-se que não é a SUA definição de felicidade, mas a do seu cônjuge. O que o faz feliz? Como fazê-lo feliz? 
O livro "As 5 Linguagens do Amor" retrata as mais importantes (do ponto de vista do autor). É importante não nos limitarmos, sermos orgulhosos, sermos egoístas em ouvir ao próximo. A maior dificuldade é se colocar no lugar do outro e ouvir suas queixas e refletir sobre tal cobrança. Não temos condições de perceber alguns de nossos comportamentos que são observáveis de fora para dentro, ou seja, aqueles que estão próximos.
Relacionar-se com alguém é, dispor-se em mudar desde que seja necessário.
Um passo importante é quando uma determinada queixa é realizada diversas vezes.
Mudança não implica que estaremos mudando personalidade, e sim o comportamento.
Viver com alguém é também estar disposto a ajudá-lo, dar apoio, chamar sua atenção quando estiver errado, elogiar quando estiver certo. Viver juntos.
Também inclui-se aqui, formas de fazer um ao outro feliz. Cada pessoa tem uma linguagem de amor diferente. É importante aprender qual a linguagem que seu(sua) companheiro(a) se comunica, caso contrário, mesmo que você se esforce ao seu máximo, se você estiver falando catalão e ele marroquino, não haverá comunicação. É comum acontecer de um falar a linguagem do outro, mas a reciprocidade não ser verdadeira. A tendência é ter desânimo da parte do que não recebe.
Presentes podem ser tanto palpáveis quanto inanimado.
Os palpáveis são os que gostamos de receber fisicamente, uma carta, um kit, e assim vai. Os inanimados são presentes que gostamos de receber sentimentalmente, uma palavra, uma declaração e afins.

Tudo se resume a abrir mão de nós mesmos, apenas. Essa dificuldade persiste na maioria dos casais, a má notícia é que isso contribui negativamente para o relacionamento.
Dicas: a primeira é, se você não está disposto a abrir mão de si próprio, NÃO entre em um relacionamento. Não faça o outro sofrer. O nome disso é egoísmo.
Segundo, se você tem disposição para viver com alguém, siga o contra-fluxo da maioria, preze pelo coeso, pelo certo, pelo harmônico. São gestos simples que fazem toda a diferença. 

Então, no próximo post procurarei explorar alguns pontos essenciais no relacionamento.

Related Posts

Nenhum comentário:

Postar um comentário